domingo, 31 de maio de 2020

«HOJE NO PORTO» MULTIDÃO ACOMPANHOU O SR. FELICIANO FERNANDES À SUA ÚLTIMA MORADA NO CEMITÉRIO DO PRADO DO REPOUSO

Hoje, sábado, dia 30 de Maio de 2020, multidão de pessoas acompanharam o Sr. Feliciano Fernandes à sua última derradeira morada, no cemitério do Prado do Repouso, no Porto. Famílias do falecido, Guineenses residentes no Porto, os amigos Portugueses (das diferentes Instituições de caridade, onde o falecido passou), os amigos Cabo-verdianos, Angolanos, os da Guiné Conacri e os amigos de Senegal, todos juntos, foram unânimes, em enaltecer sobre carácter humano do falecido Feliciano Fernandes! Vários discursos emocionantes "Este Senhor para mim, foi quase como um pai, ajudou-me bastante na vida, aconselhava-me sempre, dava-me de comer constantemente e o dinheiro para gastar, disse um jovem luso-guineense que estava presente no funeral. "Eu sou muçulmano, nascido na Guiné Conacri e, ele é da Guiné-Bissau, mas, somos irmãos, gostava muito dele, éramos inseparáveis, convive com ele há muitos anos, cá no Porto, apoiou-me sempre em tudo! Estou muito triste com desaparecimento físico dele, lamentou o Sr. Djaló, natural da Guiné Conacri "Nunca mais vou esquecer do Senhor Feliciano, não tinha ninguém quando estive doente e, ele cuidou de mim, até me dava de comer na boca, não tenho palavrasmuito triste fiquei quando soube da morte dele”, disse a uma Sra. Portuguesa presente no funeral.














sábado, 30 de maio de 2020

"SR. ENG. DOMINGOS SIMÕES PEREIRA, É A SI QUE HOJE DIRIJO DIRETAMENTE" - DR. JORGE HERBERT

Sr. Eng. Domingos Simões Pereira, é a si que hoje dirijo diretamente. Estamos, neste momento, os dois no mesmo país, portanto sob a mesma legislação, por isso mesmo dirijo a si da forma que me dirijo, esperando que tenha coragem de me processar judicialmente, pelas acusações que lhe vou dirigir neste texto.
Num artigo publicado no Jornal Público online, o Sr. Eng. vem demonstrar a total falta de vergonha e de respeito para o povo e o país que quer dirigir, acusando o atual governo de estar a assassinar o povo!
O Sr. Eng. conhece alguma outra organização que mais assassinou guineenses ao longo dos anos com balas, com espancamentos, com a miséria e falta de condições sanitárias que o partido que dirige e com o seu total silêncio cúmplice ao longo dos anos?!
O Sr. Eng. Domingos Simões Pereira tem a consciência de quantos guineenses, crianças e adultos, faleceram precocemente na Guiné-Bissau, por falta de assistência sanitária, durante os quatro anos que o Sr. e os militantes do PAIGC decidiram bloquear o funcionamento de todo o país, apenas e só porque foram arredados do poder, com base em prerrogativas Constitucionais?! Sim Sr. Eng., eu vi-os a morrerem a minha frente, por falta de oxigénio, de ventiladores e de outros recursos médicos, enquanto o Sr. e os seus cegos seguidores empenhavam-se em bloquear o país para demonstrar ao povo que os que estavam no poder é que eram incompetentes! Sim, o Sr. e o partido que lidera foram também cúmplices dessas mortes, através dos vossos actos políticos!
Não sei onde vai buscar hoje a autoridade moral para acusar os outros de estarem a assassinar o seu povo! Enquanto Nino Vieira, responsável pelo assassinato de muitos guineenses, mandava no país, onde estava o Sr. Engenheiro?! Calado e a ocupar um pomposo cargo por ele indicado! Ou não é assim Sr. Eng.?
Caro Engenheiro Domingos Simões Pereira, que os órgãos da Comunicação Social portuguesa que lhe facultam o tempo de antena não tenham o mínimo respeito pela Guiné-Bissau e o seu martirizado povo, até entendo! Mas que o Sr. Eng., que tem lutado com todas as suas forças para lugares de destaque na direção dos destinos do país não tenha, pelo menos, a decência de respeitar a vida e a inteligência dos guineenses, já é um exagero da sua parte!
Para a conquista do poder, não pode valer tudo caro Eng. Domingos Simões Pereira! Decerto que tem mais autoridade que eu em termos da Ciência Política, porque fez disso a sua profissão e até consta que é doutorando de Ciências Políticas na Universidade Católica Portuguesa, mas peço-lhe que se debruce um pouco mais sobre o capítulo da Ética na política, apesar das discordâncias que existe na literatura sobre a relação entre esses dois conceitos... Caso contrário, pode estar a desprestigiar a instituição onde é doutorando, com as suas intervenções públicas, como essa que o Público agora publicou!


DSP: "ESTE GOVERNO ESTÁ A ASSASSINAR A SUA POPULAÇÃO"

Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC RUI GAUDÊNCIO
Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC, denuncia o que considera ser o “golpe” de Sissoco Embaló na Guiné-Bissau. E diz que, se a sua tentativa de criar um Governo estável e capaz de governar for para a frente, “então estamos na presença de um crime perfeito”.

Um Presidente autoproclamado, um Governo saído de eleições demitido, um ultimato para que exista outro num ambiente político sem consenso e onde se disputa quem tem a maioria no parlamento.

A juntar: um rapto e ameaças a quem se opõe ao poder. E o regresso do narcotráfico. A Guiné-Bissau, diz Domingos Simões Pereira, líder do Partido Africano para a Independência da Guiné e de Cabo Verde (PAIGC), está a viver “no caos”.

E, “no caos, tudo pode acontecer. “Se as instituições que cooperam com a Guiné-Bissau não trabalham no sentido de a verdade vir ao de cima, para que realmente o estado de Direito possa funcionar, estamos simplesmente a adiar os choques que vão acontecer, obviamente, com a responsabilidade, neste caso, da comunidade internacional.

Conosaba/publico.pt/

COMITÉ DE PILOTAGEM DA CEDEAO DISCUTE ESTRATÉGIAS PARA ERRADICAÇÃO DO TERRORISMO NOS ESTADOS-MEMBROS


Realizou-se, hoje (29), a primeira reunião inaugural do Comité de Pilotagem da Comissão da Comunidade Económica do Estados da África Ocidental (CEDEAO) que visa coordenar esforços e iniciativas para erradicação do terrorismo em 15 Estados-membros.

A reunião decorreu através da videoconferência e Guiné-Bissau foi representada pelo ministro da defesa do governo em exercício. Um dos assuntos em cima da mesa foi a validação do plano de actividades, alocação de verbas, a execução orçamental e os relatórios financeiros auditados.

Depois da sua participação, à imprensa, o ministro da defesa, Sandji Fati, disse que o assunto abordado, principalmente na luta contra o terrorismo na região, vai ser informado às autoridades máximas do país.

Sandji Fati disse que a Guiné-Bissau ainda não confronta com o fenómeno de terrorismo mas apesar disso deve-se encarrar o fenómeno como ameaça séria criando sempre estratégias para se defender.

O Comité de Pilotagem da Comissão da CEDEAO visa além de lutar contra o financiamento do terrorismo, mas também a promoção da comunicação, o dialogo intercomunitário e a prevenção do extremismo violento. A comissão visa igualmente reforçar o controlo de armas e produtos sensíveis de uso múltiplo, um dos assuntos é o reforço a gestão e controlo de fronteiras.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos/radiosolmansi com Conosaba do Porto

SOCIEDADE CIVIL DEFENDE GOVERNO INCLUSIVO NO PAÍS LIDERADO PELO PAIGC

O presidente do Movimento Nacional de Sociedade Civil, Fode Caramba Sanhá, defendeu esta sexta-feira, 29 de maio de 2020, a instituição de um governo inclusivo na Guiné-Bissau, envolvendo todos os partidos com assento parlamentar. 

A organização da Sociedade Civil quer que seja dada oportunidade ao Partido Africano da Independência da Guine e Cabo-Verde (PAIGC), para indicar a figura do primeiro-ministro, como vencedor das ligislativas de 10 de maeçode 2019.

Fode Caramba Sanhá falava aos jornalista à saída do encontro com o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá, no quadro dasauscultações para encontrar soluções favoráveis ao fim do impasse político na Guiné-Bissau.

Sanhá diz esperar que a nomeação do novo governo seja uma realidade e que os partidos políticos com assentos no parlamento tenham vontade e determinação política e colocar a Guiné-Bissau acima de todo os interesses.

Para o presidente da Rede Nacional das Associação Juvenis (RENAJ), Seco Duarte Nhaga, o exercício do poder deve ser feito dentro do hemiciclo, convocando os deputados de diferentes partidos políticos para, dentro do parlamento, provarem que têm ou não a maioria para a governação. Acrescentou que o líder da ANP deve continuar a promover um diálogo sério e franco com osdiferentes atores políticos no sentido de criarem largo consenso a nível dos partidos e garantir a governação do país.

À saída, o presidente de Conselho Nacional de Juventude, Aissato Forbes Djaló, sugeriu que, para haver um diálogo franco entre os partidos políticos, o Presidente da Republica e outros órgãos da soberania devem esforçar-se para que a situação seja ultrapassada o mais rápido possível.

O segundo vice-presidente da Comissão Nacional de Reconciliação, Carlos Quissangue, aconselhou o presidente da ANP a fazer bom trabalho para que haja uma boa vontade entre os atores políticos na Guiné-Bissau e viabilizar o país.

Em reação à crise político-parlamentar na Guiné-Bissau, o Bastonário da Ordem dos Advogados pediu aos partidos a encontrarem uma solução politica à crise que se vive quanto à formação do novo governo. 

O Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Augusto Mário da Silva, encorajou o presidente da ANP a prosseguir o diálogo, porque “é a única via para encontrar o caminho certo para resolver os problemas” e manifestou a sua disponibilidade em continuar a facilitar o diálogo entre a classe política para encontrar o consenso almejado.

Júlio Mendonça, Secretário Geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) frisou que a solução para a crise passa necessariamente por priorizar o entendimento e respeitar o que é legal e constitucional, não defender o interesse particular. Nesse sentido, Mendonça pediu ao presidente da ANP a usar mais a cabeça e pensar mais no povo e não no interesse dos políticos, porque “quem paga com essa situação é o povo”.

Por: carolina Djeme
Foto: CD
Conosaba/odemocratagb




NÔPINTCHA: GOVERNO DA GUINÉ-BISSAU PREVÊ SUSPENSÃO DE PROPINAS PARA O PRÓXIMO ANO LETIVO

O ministro da Educação Nacional e Ensino Superior reuniu-se, em separado, no dia 28 de maio, com a Associação dos Pais e Encarregados da Educação, confederações Estudantis e Rede de Associações Estudantis para apresentar o Plano de Contingência para o Setor Educativo.

O plano prevê a suspensão do pagamento de propinas para o próximo ano letivo nas escolas públicas, enquanto no setor privado projeta-se uma subvenção parcial, apesar de que todos os alunos sejam públicos ou privados merecem os mesmos tratamentos, mas infelizmente não podem beneficiar deste privilégio.

“Os pais e encarregados de educação dos alunos das escolas privadas devem compreender que os seus educandos são iguais aos alunos das escolas públicas, mas o governo está limitado em termos de intervenção direta nas escolas privadas, devido à sua componente comercial”, indicou Ariceni Abdulai Jibrilo Baldé.

O governanteapresentou aos seus interlocutores o plano de contingência para o setor educativo, tendo admitido que o mesmo poderá ser objeto de debate e adoção pelo Conselho de Ministros.

O titular da pasta da Educação e Ensino Superior referenciou os trabalhos em curso para a recuperação de algumas infraestruturas escolares e a realização de uma conferência nacional sobre a educação.

Jibrilo Baldé explicou os seus convidados de que está a desenvolver, em parceria com as secretarias de Estado da Cultura e da Juventude e dos Desportos sobre a necessidade de reativar o Desporto Escolar, criação de uma biblioteca nacional e nas escolas a nível nacional, reformulação do INEP e a construção do Palácio da Cultura.

Ariceni Abdulai Jibrilo Baldé explicou que mesmo com a ameaça da pandemia do coronavírus a sua instituição continua determinada e a funcionar de forma inteligente para a busca de uma resposta eficaz e sólida para melhorar o sistema da educação, nomeadamente problemas dos professores até ao estado das infraestruturas.

Relativamente à Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Organização Islâmica para a Educação, Ciência e Cultura (ISESCO), o ministro disse que as duas organizações serão reestruturadas com vista a tornar mais dinâmicas e vantajosas para o país.

No que concerne à relação de cooperação do Ministério da Educação Nacional e Ensino Superior com a Conferência dos Ministros da Educação dos Estados e Governos da Francofonia (CONFEMEN), anunciou a nomeação de um novo correspondente Nacional, na pessoa de Braima Mané, substituindo no cargo Ibrhaima Diallo, por ter atingido a idade de reforma.

Conosaba/jornalnopintcha

Tema de hoje paigc em desespero total no governo so daqui à 130 anos - F...