terça-feira, 23 de janeiro de 2018

GUINE BISSAU EM 48 HORAS

«POLÍTICA» PRS E O GRUPO DOS "15" ACUSAM CEDEAO DE ESTAR A BENEFICIAR PAIGC

Bissau,22 Jan 18 (ANG) – O Partido da Renovação Social (PRS), o Grupo de 15 deputados expulsos do PAIGC,e os deputados do Partido da Convergência Democrática (PCD),e do Partido da Nova Democracia (PND), e a União Patriótica guineense, insurgiram-se hoje contra a mediação da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) na crise que assola a Guiné-Bissau.

“O grupo opõe-se expressa e inequivocamente a esta mediação tendenciosa e parcial, que aliás já vem decorrendo dos posicionamentos anteriores da CEDEAO em relação a crise política na Guiné-Bissau, que sem qualquer prova, quer a força impor um nome não adoptado consensualmente por todos os subescritores do Acordo de Coancri”, disse Fernando Vaz, em conferência de imprensa.

Na qualidade de porta-voz dos reunidos, Vaz afirmou que o comunicado final da conferência dos Chefes de Estado e do Governo da CEDEAO, de 16 de Dezembro de 2017, no seu ponto 31 diz que a Conferência tomou boa nota do roteiro apresentado pelo Presidente da Guiné-Bissau para a aplicação integral do Acordo de Conacri, nomeadamente a nomeação dum Primeiro-ministro de consenso.

Acrescenta que o mesmo comunicado, no seu ponto 32, confere aos Presidentes Alpha Condé e Faure Gnasssingbé a competência de promover consultas com todas as partes num prazo de 30 dias com vista a aplicação consensual do roteiro.

“Estranhamente, a missão ministerial da CEDEAO no seu comunicado ignora por completo as recomendações da 52ª conferência dos chefes de Estado e do Governo da CEDEAO acima referidas”, sublinhou o grupo.~
Fernando Vaz declarou que estão contra a imposição de soluções políticas para os problemas do país sem ter em conta a sua realidade sócio-política, acrescentando que isso se consubstancia na perda da soberania.

“Será que a CEDEAO não reparou que o Presidente da República demitiu o Governo com intenção de dar oportunidade ao PAIGC para honrar lealmente com os seus compromissos de forma a reconciliar-se internamente”, questionou.

O grupo questiona ainda se a CEDEAO não reparou que o Presidente da ANP, a mesa do hemiciclo e a sua Comissão Permanente nada fizeram no sentido de pacificar os ânimos e de convocar a plenária.

“Vem o grupo, mais uma vez, apelar a total isenção e imparcialidade da CEDEAO na condução desse processo para a saída da crise, por forma a garantir a tão desejada reconciliação entre os guineenses, a paz e a estabilidade”, referiu Vaz.

A CEDEAO prevê sanções para actores políticos guineenses que não colaboraram para a aplicação do Acordo de Conacri que prevê a formação de um governo de consenso inclusivo com elementos dos partidos com assento parlamentar, cabendo ao chefe de estado a escolha de um PM de consenso.

Conosaba/ANG/ÂC/JAM/SG

GUINÉ-BISSAU: ANTIGO PM IMPOSSIBILITADO DE PARTICIPAR NO CONGRESSO - PAIGC


Bissau - O antigo primeiro-ministro guineense Carlos Gomes Júnior, regressado ao país na quinta-feira, depois de cinco anos a residir em Portugal, não poderá participar no congresso do partido que liderou durante 12 anos, disse o porta-voz do PAIGC.

João Bernardo Vieira indicou que, a luz dos estatutos do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Carlos Gomes Júnior "não tem como ir ao congresso, enquanto delegado".

O porta-voz do PAIGC salientou que os actuais estatutos do partido são os que vigoram desde quando Gomes Júnior era líder, pelo que, disse, este "os conhece perfeitamente".

Não sendo delegado escolhido nas bases do partido e sem ser também membro de qualquer órgão dirigente, o antigo líder só pode estar no congresso, marcado para entre 31 de Janeiro e 04 de Fevereiro, enquanto convidado, disse João Bernardo Vieira.

Na qualidade de convidado, Carlos Gomes Júnior não poderá ser eleito para qualquer órgão e nem participar nas votações, sublinhou o porta-voz do PAIGC.

Ao chegar ao país, na última quinta-feira, oriundo de Lisboa, onde residiu nos últimos cinco anos desde que foi derrubado num golpe militar, Carlos Gomes Júnior admitiu a possibilidade de se candidatar à liderança do PAIGC, caso seja esse o entendimento dos militantes daquele partido.

"Carlos Gomes Júnior liderou o PAIGC em vários processos eleitorais com êxito, pelo que tem o direito de participar no congresso", afirmou o porta-voz do grupo, Fernando Vaz, ministro do Turismo no Governo demissionário.

Conosaba/angop

GÂMBIA: DETIDOS GENERAIS DO EX-PRESIDENTE JAMMEH NO SEU REGRESSO AO PAÍS


Banjul - Dois oficiais generais do ex-presidente gambiano, Yahya Jammeh, que o acompanharam ao seu exílio na Guiné Equatorial, regressados recentemente ao país, foram detidos nesta terça-feira, pelo exército, soube a AFP, de fontes concordantes.

Os generais Ansumana Tamba, antigo comandante da guarda presidencial, e Umpa Mendy, ex-responsável da protecção de Yahya Jammeh, "encontram-se actualmente detidos na caserna de Yundum, próximo do aeroporto internacional de Banjul, indicou uma fonte militar.
Ansumana Tamba
Os mesmos, foram detidos domingo, logo após o seu regresso da Guiné Equatorial, declarou segunda-feira, o chefe do estado-maior, o general Masanneh Kinteh, sem no antanto, precisar as razões desse retorno ao país.

Cada um deles foi detido em sua casa, acrescentou o general Kinteh, sem explicar como conseguiram sair do aeroporto sem serem importunados.

Um ano após o derrube de Yahya Jammeh, a estabilidade na Gâmbia continua ameaçada, nomeadamente pelos desertores do exército gambiano, indicou à semana passada, o comandante da força da Cedeao, o coronel senegalês Magatte Ndiaye.

Interrogado à semana passada, pela rádio francesa RFI e a televisão France24, sobre a possibilidade de uma extradição de Yahya Jammeh, o presidente equato-guineense Teodoro Obiang Nguema, respondeu que examinaria um tal pedido caso lhe fosse feito.

"Perseguir uma pessoa que tomou a decisão de abandonar o poder seria talvez uma injusta concepção política", afirmou Nguema. 

Conosaba/angop

GOVERNO DA GUINÉ-BISSAU EXPORTA MADEIRA APREENDIDA POR CORTE ILEGAL

O Governo demissionário da Guiné-Bissau iniciou hoje a exportação de 1.500 contentores com madeira cortada de forma ilegal, apreendida, que se encontrava espalhada pelas florestas do país, revelou o diretor-geral da Floresta e Fauna, Mamadu Camará.

Segundo Camará, com a venda, o Estado guineense deverá arrecadar cerca de 10,3 milhões de euros, sendo que 35 por cento desse montante será utilizado para o inventário florestal, fiscalização e repovoamento do parque florestal guineense.

O resto do dinheiro será depositado no Tesouro Público.

A madeira, espalhada nas florestas e em contentores em Bissau, tinha sido apreendida pelo governo depois de cortada nas florestas do país de forma ilegal, entre 2012 e 2014, por madeireiros nacionais e estrangeiros.

Na sequência do golpe militar de 2012, as autoridades civis denunciaram um processo de corte massivo das florestas, tendo produzido uma moratória de cinco anos, ainda em vigor.

O CITES - Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção, sancionou a Guiné-Bissau, proibindo a exportação da madeira cortada naquele período.

Para o CITES aceitar o levantamento do embargo, o governo guineense teve que adequar a legislação interna aos princípios da organização.

O diretor-geral da Floresta, Mamadu Camará, explicou que o governo guineense "sempre procurou chegar a um entendimento com o CITES", no sentido de poder vender a madeira que agora terá que ser escoada num prazo de 90 dias.

A China, o Vietname e a India são os principais destinos da madeira, constituída essencialmente por "pterocarpus violaceus", conhecido na Guiné-Bissau como "pau sangue", é a principal espécie cortada.

Mamadu Camará assinalou que o resto da madeira que não for exportada será utilizada para o consumo interno..

Conosaba/Lusa

MARROCOS QUER MOBILIZAR CANDIDATURA DE DIMENSÃO AFRICANA AO MUNDIAL 2026


O presidente do Comité de Candidatura de Marrocos ao Mundial2026 de futebol disse hoje que quer "mobilizar o país inteiro" para um projeto de "dimensão africana" e apresentar uma campanha "séria"

."Esta é uma candidature séria. (...) Vamos usar toda a nossa energia, o nosso registo é e será irrepreensível. Alguns dizem que estamos a ficar para trás, mas somos capazes de uma 'remontada'", prommeteu Moulay Hafid Elalamy, que coordena a candidatura marroquina, que se opõe a uma conjunta de Estados Unidos, Canadá e México.

Na conferência de imprensa, esteve também presente o presidente da Federação Marroquina de Futebol (FRMF), Faouzi Lejkaa, que destacou o projeto como sendo "para todo o continente africano", que apenas recebeu o Campeonato do Mundo em 2010, na África do Sul.

A candidatura norte-americana é vista como favorita para conseguir a organização em 2026, a poucos meses da nomeação, marcada para 13 de junho, altura em que é conhecido o resultado da votação das 211 federações que compõem a FIFA, a primeira vez que o processo decorre neste formato.

É a terceira vez que Marrocos se candidata a receber um Campeonato do Mundo, depois de 1998 e 2010, sendo que ambas as tentativas foram acusadas de envolverem subornos, na investigação a decorrer pelo Departamento da Justiça norte-americano ao escândalo de corrupção da FIFA.

O presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF), Ahmad Ahmad, apoia a candidatura marroquina ao mundial de 48 equipas e pediu "um apoio sólido e massivo" das restantes federações africanas.

Em 12 de janeiro, a candidatura anunciou ter contratado a empresa de consultadoria estratégica VERO, que trabalhou na campanha que levou à atribuição do Mundial2022 ao Qatar, e dos Jogos Olímpicos de 2024 a Paris.

"De 1930 a 2030, são 100 anos, e o continente africano organizou o Mundial apenas uma vez, não pode continuar à margem", referiu Lejkaa, depois de revelado o logotipo de candidatura e os mandatários, os antigos futebolistas Samuel Eto'o (Camarões) e Didier Droba (Costa do Marfim).

Elalamy afastou ainda questões de direitos humanos, dizendo que a candidatura "não vai refazer o mundo", e que Marrocos é "um dos países mais seguros do mundo, ao contrário de um dos concorrentes", referindo-se ao México, e apontou os progressos feitos no que toca aos direitos das mulheres e da família.

O comité destacou ainda as infraestruturas criadas para a candidatura, mas recusou-se a revelar valores investidos na campanha.

Conosaba/Lusa

A OVELHA DÁ À LUZ UM BEBÉ, AS PESSOAS FICAM CHOCADAS AOS DESCOBRIR QUE TEM CARACTERÍSTICAS HUMANAS!

Um cordeiro nasce com traços humanos ...

Aldeões supersticiosos estão a viver com medo desde que uma ovelha deu à luz a uma criatura estranha. Os anciãos da aldeia dizem que é metade humana e que foi "enviada pelo diabo."
Muitas das 4000 pessoas de Lady Frere na África do Sul estão convencidas de que o animal é o resultado de bestialidade e bruxaria.
Conosaba/vamosportugal.