quinta-feira, 30 de março de 2017

«RADIO E A TELEVISÃO» TENTATIVA DE INGERÊNCIA DO PODER POLÍTICO NO JORNALISMO GUINEENSE



Denúncia feita pelo conselho nacional de comunicação social da Guiné-Bissau

Há mais uma denúncia de tentativa de ingerência do poder político no jornalismo guineense. 

O conselho nacional de comunicação social, órgão fiscalizador das atividades da imprensa, insta o poder político a evitar interferir nas atividades dos jornalistas. O presidente do conselho pede aos jornalistas para resistirem às ingerências do poder político na atividade jornalística.

Nas últimas semanas, os líderes dos partidos políticos têm feito denúncias de censuras das suas atividades políticas por parte dos orgãos públicos de comunicação social, nomeadamente a rádio e a televisão.

Conosaba/rtp.pt/rdpafrica

quarta-feira, 29 de março de 2017

GUINÉ-BISSAU PRETENDE ELIMINAR DIFERENÇA DURANTE ELEIÇÕES


A Comissão Nacional das Eleições (CNE) apresenta o relatório das últimas eleições presidências e legislativas realizadas em 2014
O relatório das últimas eleições presidências e legislativas apresentado, esta terça-feira (28/03), em Bissau, demonstra a necessidade de adequação e criação de um ajustamento no quadro jurídico-legal do país de forma a permitir eliminar algumas diferenças dos actos eleitorais, em função da lei.
Ao presidir a cerimónia de abertura dos trabalhos, Cipriano Cassama, presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), afirma que é imperiosa que o país consiga realizar as eleições autárquicas para construir uma aproximação do poder politico a população.
Cassama incentiva ainda a Comissão Nacional de Eleições (CNE) a prosseguir na sua linha de mandato institucional, por isso reafirma o seu total apoio político para que possa se cumprir “integralmente a sua missão de servir o povo”.
O presidente da ANP desafia ainda todos os órgãos e entidades da república do país legalmente instituídos a lutarem para a consolidação do Estado de direito democrático e dos valores da paz, da estabilidade e dos progressos nacionais.
Numa menção ao processo eleitoral em curso no Supremo Tribunal de Justiça, Cassama afirma ter registado as denúncias “preocupantes”, sobre a manipulação do processo eleitoral neste orégão. Entretanto, neste sentido apela o distanciamento dos actores políticos desta conduta “que pode colocar em causa os pilares do Estado de direito democrático”.
Presente no acto, Gabriel D’Alva, representante adjunto do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), defende que apesar de todo o investimento feito no apoio aos ciclos eleitorais ainda existe muito por fazer.
Entretanto, para a adequação do processo eleitoral no país aos princípios e aos valores das eleições universalmente aceites, Sumaila Sane, chefe do gabinete do presidente da CNE, afirma que é necessário a revisão “profunda” da constituição da república e a lei ordenaria da CNE.
Para a União Europeia (EU), existe toda a necessidade para a realização das próximas eleições legislativas, entre Abril e maio de 2018.
“A preparação atempada do processo eleitoral para UE evitaria os vazios políticos ilegais que poderão fazer coincidir a tomada de posse da nova assembleia com o fim de mandato da actual”, defende Victor Madeira dos Santos, chefe da delegação de UE na Guine Bissau, tendo por outro lado reafirmado o empenho da sua organização em apoiar a administração eleitoral do país na realização do próximo acto eleitoral.
Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Amade Djuf Djalo/radiosolmansi com Conosaba

«PRS EM PORTUGAL» CONVOCATÓRIA


CONVOCATÓRIA
  
A Direção da Representação do Partido da Renovação Social (PRS) na diáspora guineense em Portugal, convoca a todos os seus militantes e simpatizantes para uma reunião a ter lugar no dia 08/04/2017 pelas 14h30 no hotel IBIS Saldanha, sita na Avenida Casal Ribeiro, nº 23 em Lisboa (Saldanha).

Presidente da Direção


Dr. Pedro Pã

FILHOS E VIÚVAS DE ANTIGOS COMBATENTES PORTUGUESES MANIFESTAM PARA EXIGIR PAGAMENTO DE PENSÕES


Mais uma onda de manifestação nas ruas de Bissau. 

Membros da Associação dos Filhos e Viúvas dos Antigos Combatentes das Forças Armadas Portuguesas manifestaram-se hoje em frente da embaixada de Portugal em Bissau, para exigir do Governo de Lisboa, o pagamento de pensões dos seus pais.

Suleimane Camará, presidente da Associação considera de “deplorável”, sobretudo em que os seus pais viveram. 

Camará advertiu que vão continuar com as reivindicações, em frente da embaixada, para pressionar o Governo português a cumprir com as suas obrigações, porque conforme avança lutaram ao lado do colonialismo português nas matas hediondas da Guiné, contra os guerrilheiros infatigáveis do PAIGC.

De referir que, Notabanca esteve no local de manifestação, contactou alguns responsáveis da Embaixada portuguesa, prometeram dar esclarecimento sobre o assunto, mais tarde. 


Conosaba/Notabanca






ESTUDANTES GUINEENSES E AFRICANOS COREM RISCO DE VIDA NA INDIA


Estudantes africanos na República Islâmica da India correm risco de vida devido aos ataques de xenofobia contra os cidadãos africanos. Que se encontram ali num “estado de abandono total-salva quem poder”.


Foi que disse hoje 28 de março a Notabanca via online, a partir da capital Nova Deli, India, o vice-presidente da Associação dos Estudantes Africanos na quele país indiano. 

Edmundo Ferreira Bari disse que beneficiaram de bolsa de estudo desde 2015, já há três anos, ao chegaram ali, foram informados que vão ter que pagar por conta própria a escola, comida e residência, contrariamente das informações que tiveram em Bissau.



Edmundo Bari afirma que, tudo se transforma num ambiente de “monteada de gato com rato” quando um cidadão indiano foi encontrado morto por ter consumido demasiadamente álcool e droga. Daí, segundo avança, os familiares da vítima e a população indiana acusaram cidadãos nigerianos desemboca-se por agora, à todos africanos de serem responsáveis da morte do indiano, ao ponte de serem ameaçados e obrigados a não saírem das suas residências por temer represália nas ruas.


Bari pede a intervenção das autoridades guineenses por forma a repor a verdade dos factos e proteger os seus cidadãos “acusados falsamente, por serem africanos no meio dos asiáticos”. 

Conosaba/Notabanca

CIPRIANO CASSAMÀ DENUNCIA ALICIAMENTO DE ALGUNS MAGISTRADOS E JUÍZES PARA MANIPULAÇÃO DAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES


“Atenção! Aí vem tentativa de manipulação das próximas eleições!”


O presidente da Assembleia Nacional Popular, denuncia nesta terça-feira em Bissau, manobras de aliciamento de alguns magistrados e juízes para manipulação das próximas eleições legislativas. 

Cipriano Cassamá falava hoje no acto da divulgação do relatório da Comissão Nacional de Eleição sobre as últimas eleições gerais de 2014., apela aos atores políticos para se absterem de condutas que possam inquinar o processo, sob pena de por em causa os pilares do Estado de direito democrático na Guiné-Bissau. 

Sumaila Mané, chefe do gabinete do presidente de CNE, disse que há necessidade de proceder ajuste do sistema eleitoral, por forma a ter melhores resultados. 

“Há quem diga, se as denúncias de Cipriano Cassamá vierem consumar, o país poderá cair-se em guerra.” 

Que Deus abençoe a Guiné-Bissau e ao seu povo.

Conosaba/Notabanca

ENTIDADE FISCALIZADORA DO MAR DA GUINÉ-BISSAU QUESTIONA CONCLUSÃO DA GREENPEACE



A Fiscap, entidade de fiscalização e controlo das atividades de pesca na Guiné-Bissau, questionou hoje as conclusões da organização ambientalista Greenpeace segundo as quais 90 embarcações estão atualmente a pescar ilegalmente nos mares guineenses.

Tomas Pereira, diretor técnico da Fiscap, disse hoje, em conferência de imprensa, que os dados revelados pela Greenpeace - que teve um navio nas águas da Guiné-Bissau durante quatro dias - são pouco claros e carecem de confirmação.

A Greenpeace - cujo navio se encontra em digressão por vários países da costa ocidental de Africa em promoção da fiscalização da pesca - revelou ao Presidente guineense, José Mário Vaz, que 90 barcos estão a pescar sem licença nas águas da Guiné-Bissau.

José Mário Vaz, que visitou na terça-feira o navio da Greenpeace no porto comercial de Bissau, afirmou que já sabia desses dados mas agora recebeu a confirmação por parte de uma organização mundial.

O líder guineense defendeu que "alguém está a ganhar" com a atividade ilegal dos barcos quando o país inteiro vai perdendo já que não recebe os recursos que deviam entrar para os cofres públicos.

José Mário Vaz indicou que o país perde escolas, hospitais, estradas e ainda deixa de acudir as necessidades de muitos cidadãos por falta de recursos que acabam por ir parar aos bolsos de pessoas que não identificou quem são.

Mas, disse que medidas serão tomadas para mudar aquela realidade.

Em conferência de imprensa hoje, o diretor técnico da Fiscap disse não pretender desmentir as informações avançadas pelo chefe do Estado, "até porque o Presidente pode ter uma fonte fidedigna" mas questionou os dados apresentados pela Greenpeace.

Tomás Pereira adiantou que a Fiscap vai averiguar "para poder comprovar" se de facto existe esse número de barcos em pesca ilegal no mar da Guiné-Bissau.

Para já, Tomás Pereira diz não aceitar que uma organização sem vocação e conhecimento das atividades de fiscalização possa saber mais do que técnicos que "há muitos anos" estão no que afirma ser "um trabalho patriótico".

Conosaba/Lusa