sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

PAIGC DISPONÍVEL PARA TRABALHAR E “RESGATAR” ACORDO DE CONACRI


O presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC) disse que o seu partido está aberto e disponível para trabalhar no sentido de “resgatar” o acordo de Conacri desde que haja um esclarecimento cabal daquilo que foram os pontos acordados na Guiné-Bissau e na Guiné-Conacri

Domingos Simões Pereira que falava, esta quarta-feira (30/11), a saída de o encontro com os P5 para esclarecer as últimas decisões do partido saídas na última reunião do comité central face aos últimos desenvolvimentos políticos, disse ainda que a ouviram da parte dos P5 “curiosamente de alguma forma contrariando” aquilo que vinha sendo anunciando ultimamente que “de facto eles não assumem qualquer posição neste processo e aguardam que o mediador principal faça o uso das suas prerrogativas para esclarecer o que é que de facto ficou retido em Conacri”.

“Aqueles que se pronunciaram tinham-se limitado a constatar que o presidente da república nomeou sem querer assumir uma posição qualitativa sobre a correcção ou não desta nomeação”, adianta Simões Pereira sustentando que foi o partido ouviu por parte da comunidade internacional. 

Domingos Simões Pereira disse ainda que o país precisa reforçar as instituições democráticas e construir um estado de direito mas, para que isso aconteça, é preciso respeitar as leis e assumir compromissos assinados.

“Se a nossa posição manter esta coerência a médio ou ao longo prazo teremos uma república funcional onde as leis são respeitadas e onde o progresso pode, de facto, ser construído. O inverso disso não é uma alternativa não só para a solução do país e nem pelo P5”, defende.

“Se quisermos desbloquear a situação política no país, temos instrumentos para o efeito e se não queremos o fazer vamos continuar a dar voltas e cada um vai der que, de facto, assumir as suas responsabilidades”, sustenta.

O Partido libertador mantem a sua posição de não participar no governo de Umaro El-Moktar Sissoko Embalo.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos, radio solmansi com Conosaba

TAP RETOMA VOOS PARA A GUINÉ-BISSAU


A Transportadora Aérea de Portugal (TAP) retomou rota nesta quinta-feira dia 01 à Bissau.
 
Os voos da TAP para a Guiné-Bissau estavam suspensos desde dezembro de 2013, quando a tripulação de um voo da companhia aérea portuguesa foi coagida pelas autoridades de transição guineenses a transportar 74 passageiros sírios ilegais para Lisboa, o que mereceu fortes críticas da comunidade internacional e levou à suspensão da operação da companhia nesse país.
 
Os voos vão realizar-se às quintas-feiras e sábados, no sentido Lisboa/Bissau, com partida às 21:50 e chegada às 02:00. No regresso, os voos irão partir de Bissau todas as sextas-feiras e domingos, pelas 02:50, chegando a Lisboa às 06:00.
 
Conosaba com Notabanca

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

DR. MALAM SAMBÚ (N'CUBUR), EMBAIXADOR PLENIPOTENCIÁRIO DA GUINÉ-BISSAU NA CHINA DOOU 500 KG DE ARROZ PARA ALIMENTAÇÃO DOS JOGADORES DOS BALANTAS DE MANSOA


Nova Direção dos Balantas: Nilton César Barbosa, Secretário Geral; Babum Imbadji, Presidente da Juventude; Aguibo Djata, Responsável das Finanças e Aduramane Djaló, Presidente da direção


A direção do Clube Futebol Os Balantas de Mansoa, recebeu no passado sábado, dia 25 de Novembro de 2016, 10 sacos de arroz de 50 kg (donativo) para garantir alimentação de jogadores durante a competição do campeonato.


Dr. Malam Sambú (Embaixador na China)

Mais um ilustre filho da terra que teve um nobre gesto de generosidade! 

Com o arranque do campeonato da 1.ª Divisão em futebol da Guiné-Bissau, o Senhor Embaixador Malam Sambu resolveu doar 500 kg de arroz para garantir alimentação dos atletas do Clube Futebol Os Balantas de Mansoa.

Um gesto de registar deste ilustre filho da terra. 

Senhor Embaixador, os Mansoenses agradecem e os Balantas merecem.

Conosaba













DSP AFIRMA QUE ACORDO DE CONACRI ERA UMA SOLUÇÃO PARA A SITUAÇÃO DE DESBLOQUEIO DAS INSTITUIÇÕES DA REPÚBLICA




O líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira (DSP) defendeu ontem que “a Guiné-Bissau precisa de reforçar as suas instituições democráticas e precisa de construir um Estado de direito. E isso se faz respeitando as leis ou assumindo compromissos e respeitando esse compromisso. Se a nossa posição mantem-se essa coerência ao meio e longo prazo, nós vamos ter uma república funcional onde as leis são respeitadas, onde o progresso pode de facto ser construído”. 

DSP admite que “o inverso disso, não é uma alternativa não só para o país, mas também para o P5”.

Simões Pereira falava aos jornalista no principio da noite de quarta-feira em Bissau, após o encontro com o grupo “P5” constituído pela comunidade internacional disse que: “Nós achamos que o acordo de Conacri era uma alternativa, uma solução para a situação de desbloqueio das instituições da república e pensamos que é finalmente que as partes signatárias do acordo respeitem integralmente todos os pressupostos nele associado”

Adiantando que o “P5” disse não assume qualquer posição no processo, aguardando que a mediadora da CEDEAO se pronuncie sobre o nome escolhido ao cargo do Primeiro-ministro do Governo inclusivo.

Conosaba com Notabanca

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

SISSOCO AVISA QUE IRÁ AVANÇAR COM O SEU GOVERNO SE O PAIGC RECUSAR INTEGRÁ-LO



O novo Primeiro-ministro, Umaro Moktar Sissoco Embalo Advertiu hoje dia 30 em Bissau que, a Guiné-Bissau não pode esperar mais tempo, porque é um ano que o Parlamento está bloqueado.

Proveniente da Libéria após ter apresentado ao Presidente da CEDEAO, Ellen Johnson, as suas propostas que preconiza para acabar com a crise política guineense, Sissoco  disse que recebeu orientações da CEDEAO, em continuar com o diálogo e convencer o PAIGC para integrar o seu executivo por forma a desbloquear a crise através de uma plataforma de diálogo.

Umaro Sissoco adianta que o contacto de aproximação entre as partes poderá ser facilitado com o chamado grupo “P5” constituído pela comunidade internacional.

O PM, Sissoco disse esperar que os parlamentares terão o bom senso para convocar uma sessão extraordinária na Assembleia Nacional Popular, para o debate e consequente votação do programa do seu Governo e o Orçamento geral de Estado.

Recordamos que, três das cinco formações políticas que compõem o parlamento da Guiné-Bissau, PAIGC, PCD União para Mudança (UM), recusam-se a fazer parte do Governo que se chamam de iniciativa presidencial, que pretende ser de inclusão para tirar o país da crise política em que se encontra há 15 meses. 

Os três partidos não concordaram com o nome de Umaro Sissoco Embaló, um general na reserva de 44 anos, proposto pelo chefe do Estado guineense, José Mário Vaz, como primeiro-ministro.

O PAIGC é o vencedor das últimas eleições legislativas na Guiné-Bissau mas tem estado arredado do poder em decorrência de um crise interna e de desentendimentos com o chefe do Estado.

Sissoco Embaló prometeu acatar o conselho mas avisou que irá avançar com a sua equipa governamental caso persistir a recusa do PAIGC em integrar o novo executivo.

A ver vamos!

 Conosaba com Notabanca

CONOSABA DO PORTO: 1ª PARTE DA ENTREVISTA COM DR. FERNANDO MARTINHO

PM DA GUINÉ-BISSAU TENTA CONVENCER PARTIDOS A PARTICIPAREM NO GOVERNO

Foto de Braima Darame


O novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disse que vai fazer tudo para convencer os partidos a participarem no seu Governo, mas caso não seja possível irá avançar com a nova equipa governamental nos próximos dias.

Três das cinco formações políticas que compõem o parlamento da Guiné-Bissau, Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Partido da Convergência Democrática (PCD) e União para Mudança (UM), recusam-se a fazer parte do Governo, que pretende ser de inclusão para tirar o país da crise política em que se encontra há 15 meses.

Os três partidos não concordaram com o nome de Sissoco Embaló, um general na reserva de 44 anos, proposto pelo chefe do Estado guineense, José Mário Vaz, como primeiro-ministro.

De regresso de uma viagem de algumas horas à Libéria na terça-feira, o primeiro-ministro guineense disse ter sido aconselhado pela líder liberiana, Ellen Johnson, a convencer os demais partidos a integrarem o seu Governo.

Johnson é a atual presidente em exercício da conferência de chefes de Estado da Comunidade de Estados da Africa Ocidental (CEDEAO), que tem tentado levar os líderes políticos guineenses a um entendimento para acabar com a crise no país.

O novo primeiro-ministro guineense afirmou ter tido uma conversa de mais de duas horas com a presidente da Libéria e a partir de hoje irá pôr em prática os conselhos que recebeu no sentido de tentar convencer sobretudo o PAIGC a integrar o Governo.

O PAIGC é o vencedor das últimas eleições legislativas na Guiné-Bissau mas tem estado arredado do poder em decorrência de um crise interna e de desentendimentos com o chefe do Estado.

Em declarações aos jornalistas que acompanharam o primeiro-ministro guineense, Ellen Johnson, exortou Umaro Sissoco Embaló no sentido de envolver o chamado P5, espaço de concertação entre os representantes da ONU, União Europeia, União Africana, Comunidade de Países de Língua Portuguesa e CEDEAO, em Bissau, na busca de diálogo com o PAIGC.

Sissoco Embaló prometeu acatar o conselho mas avisou que irá avançar com a sua equipa governamental caso persistir a recusa do PAIGC em integrar o novo executivo.

Conosaba com a Lusa